Depois de um tempo,
depois de reorganizar minha vida...

Reformulando o Blog...

Como deixar de lado por tanto tempo minha maior paixão?

Escrever!!!!





sexta-feira, 29 de junho de 2012

O Pinhão

O que eu vou contar agora aconteceu ainda em Rio das Ostras – RJ. Acho que no início de maio. Eu não esqueci a história, mas esquecia de fazer a foto ilustrativa.
Mas esta semana, minha amigona que, como eu está exilada, dona do Blog Costurinhas da Dani: http://www.costurinhasdadani.blogspot.com.br/ postou uma foto tirada dela no site de relacionamento, para provocar “inveja” de quem está longe do Sul que me relembrou a história... Vá lá:



Mais um dia de reposição de geladeira. Tanto a de secos como a de molhados. Deixei a pequena na escola e dirigi-me, com minha bicicleta, ao hortifruti mais próximo da nossa casa.
Todos os legumes e verduras precisos e necessários para a tal dieta que não me abandona nunca, mas que eu a abandono todos os dias!
Quase terminando olhei uma caixa de papelão com pinhão: Bhá!  Foi tudo o que pude exprimir.
Ano passado o coitado do meu pai cogitou a possibilidade de mandar por Sedex, mas o quilo do pinhão sairia muito caro e agora, assim, de bandeja: no hortifruti do lado de casa?!
Passei a mão em pouco mais de um quilo e fui para o caixa.
De repente uma mulher vai até a caixa do pinhão, enquanto eu estou passando minhas compras no caixa, e inicia-se esta beleza de diálogo:

Ela: _ Isso aqui que é pinhão, né?
Sr. do Caixa: _ Sim.
Ela: _Meu marido é do Paraná e adora isso aqui. Quando eu contei a ele que tinha visto aqui para vender ele me pediu que viesse buscar um pouco. Eu pego quanto?
Eu: _ Se ele gosta pode pegar um quilo.
Ela: _ Tu também gosta disso aqui? É do Sul?
Eu: _ Sim, sou do RIO GRANDE DO SUL. Lá em casa até a pequena de 3 anos gosta.
Ela: _ Hum... E como que se faz isso?! É frito? Eu descasco?
Eu: _ Não! A senhora cozinha tipo feijão. Quando tiver abrindo a senhora salga e depois é só comer.
Ela: _ E come o quê? Com farinha? Coloco azeite?
Eu: _ Não! Come puro.
Ela: _ Puro?! Só puro?!
Eu: _ É, da mesma forma que vocês comem o amendoim. Come-se puro.
Ela: _ E o gosto? É de amendoim também?
Eu: _ Não! É... É... É gosto de pinhão minha senhora, eu não sei comparar o gosto.
Ela: _ Uma vez eu vi num jornal da televisão que se faz até doce com isso.
Eu: _ Ah sim, mas daí a senhora tem que procurar as receitas. Mas o habitual é comê-lo cozido ou no máximo assado na chapa do fogão à lenha.
Ela: _ Ta. Mas isso aqui... É bom de comer com o quê?! Com cerveja?

Eu gargalhei e disse: _ A senhora me desculpe, parece até que estou debochando, mas não. Isso aí é bom de comer com chimarrão!

Até o senhor do caixa não aguentou e morreu de rir!

OBS: observem que no início do diálogo ela me pergunta se sou do sul e eu coloquei a resposta de Rio Grande do Sul em letras maiúsculas para que quando vocês fossem interpretar a leitura sentissem que eu falo isso com a boca cheia de orgulho em alto e bom tom!


Bom final de semana! E não esqueçam da dica: pinhão e chimarrão!

2 comentários:

cantinho de Jake croche disse...

Muito legal amiga!!!E deves ter mesmo muito orgulho!
E pinhão é boooommmm pra caramba!!!Haahahah...essa senhora deveria provar!!!

Costurinhas da Dani disse...

Kkkkkkkkkkk
Pê, vamos colocar essas histórias em um livro?
Diariamente acontece uma dessas aqui. Como pode o mesmo país com culturas tão diferentes, né?
Beijo
Dani