Depois de um tempo,
depois de reorganizar minha vida...

Reformulando o Blog...

Como deixar de lado por tanto tempo minha maior paixão?

Escrever!!!!





domingo, 15 de abril de 2012

Crônica da Vida da Gente II


Mais um domingo entediante, como todos os domingos são. Precedentes às segundas, os domingos tem um poder particular de deixar-nos mais vulneráveis, sensíveis e deprimentes.
Existem muitas pessoas que amam o domingo. Esperam ansiosos por ele para poderem descansar, ficar com a família, assar um churrasco, ir à praia, beber uma cerveja gelada e terminarem o dia assistindo aos noticiários da TV ou então a programas que viam desde a infância.

O domingo tem sua magia...


Ele anteceder a uma semana cheia de afazeres, sendo um dia que não se tem nada para fazer, faz dele um dia especial por si só, pois assim como uma pessoa aguarda por um momento deste dia, várias aguardam pelo mesmo momento. Redundante ou não, domingo é sempre domingo.
Hoje foi um domingo possivelmente inesquecível para a Malu. Além do normal como ver televisão e pintar ela teve o prazer de compartilhar algumas horas intensas com o pai.


Uma tarefa simples e corriqueira de alguns pais no domingo e que apresentam uma magia para as crianças que interagem. Hoje ela ajudou o pai a lavar o carro. Ela ensaboou o carro, lavou o carro com a mangueira e também lavou ao pai, assim como ele lavou-a.
São magias e encantamentos que ficam frescos na nossa memória mesmo após anos. Eu ainda lembro das sextas-feiras em uma confeitaria – e era sempre a mesma – tomar chá com um pedaço de torta. Crianças não gostam de chá! Eu tomava. Nem sei se gostava ou não, mas tomava, afinal de contas a uma hora de sexta-feira era o meu domingo inteiro com meu pai.


Assim como comigo, muitos tiveram dias da semana transformados em domingos. Filhos de homens que tinham folgas alternadas, ou as vezes nem tinham folgas, mas faziam de algumas horas domingos inesquecíveis.
Como em tudo que tenho observado na vida, o mal de todo mundo e de toda a gente é crescermos, ocuparmos cada segundo do pouco tempo que temos com coisas que nos levam a ter e a ser alguma coisa que, muitas vezes, chegamos ao fim e não vemos e muito menos sentimos.


O bom de tudo isso é que nos restam as lembranças, as fotografias, as memórias... de domingos que não eram entediantes, eram inebriantes.

3 comentários:

Anônimo disse...

Adoooooorei esta crônica! beijos.
Tia Luci.

cantinho de Jake croche disse...

Lindo d+ Pri!!!
Sabe que aqui em casa esses momento são muitos especial e fazem parte do nosso cotidiano.
Em tudo o que fazemos temos uma recordação com nossos filhos. Acho que eles vão levar uma boa recordação da infância.
Tua crônica foi muito linda!!!

Anônimo disse...

Lindo amiga, como sempre!!! beijos Fran